24 de mar de 2011

Ocupação Casa Breve / Floresta

    ele não guarda sentidos simbólicos. em suas mãos tudo é diverso. eu digo um nome de coisa qualquer. mas coisa qualquer não existe. tudo é arma de paz perto do Pacificador. até uma lágrima? ela pergunta. e ele diz: essa lágrima, não vou nem deixar que se evapore.

Nenhum comentário: